Processadores multi-core (vários núcleos). Entenda como eles funcionam

Antes de qualquer informação sobre processadores de vários núcleos, você deve saber que o processador é como se fosse o cérebro do computador. Ele é responsável por (como o próprio nome já diz) processar todas as informações trocadas entre o software e o usuário, informações as quais são trocadas por dispositivos de entrada e saída.

Processadores mono-core ou single-core

Os processadores single-core, como são comumente chamados, eles trabalham como nós, simples humanos. Nós temos a capacidade de fazer várias coisas ao mesmo tempo, porém no caso de tarefas que exigem um pouco mais de atenção e concentração, é impossível fazer 2 trabalhos ao mesmo tempo. É como tentar ler 2 livros diferentes exatamente ao mesmo tempo. É impossível! Ou você lê um livro, ou lê outro.

Os processadores single-core, possuem apenas um núcleo, assim ele pode executar perfeitamente diversas tarefas que exigem pouco uso dos recursos do mesmo, porém, se você executar algo que tente utilizar 100% dos recursos do processador? Este aplicativo exigiria total “atenção” do processador, o que resultaria em uma lentidão não só do aplicativo em questão, como também em qualquer outro aplicativo rodando no micro.

Processadores multi-core

Os processadores multi-core, seguindo a linha de exemplo acima, trabalham como se fosse uma pessoa com dois cérebros, onde cada um poderia trabalhar de forma independente do outro.

Um deles poderia ler um determinado livro, e outro ler outro livro, que poderia ser a continuação do primeiro. Ao final da leitura dos dois livros, os cérebros uniriam toda a informação, formando um conhecimento único. Como a tarefa estaria dividida em duas partes, ela seria executada com o dobro de velocidade, tendo em vista que uma pessoa comum teria de ler os dois livros separadamente.

O mesmo ocorre com os processadores multi-core, dependendo da quantidade de núcleos existentes em um processador (Hoje variam de 2 a 12 núcleos, contando núcleos físicos e lógicos – explicado mais abaixo). Os processadores multi-core podem dividir a tarefa entre vários núcleos, tornando assim a execução da tarefa mais rápida.

Núcleos físicos

Os processadores possuem núcleos internos, que são os “cérebros” responsáveis por processar as informações. Os núcleos físicos, como o próprio nome já diz, existem fisicamente dentro do processador, o que o torna o processador uma unidade de processamento com núcleos reais.

Núcleos lógicos

Diferentemente dos núcleos físicos, os núcleos lógicos não existem fisicamente dentro do processador. Na realidade um núcleo físico é “dividido” por uma forma lógica de processamento, emulando assim um núcleo físico.

O uso de núcleos lógicos, apesar de dividir de certa forma o processamento de um núcleo físico, permite o aumento de desempenho do processador, pois a capacidade de processamento de cada núcleo (não importando se ele é físico ou lógico) é “independente”, sendo assim o processamento de diversas tarefas acaba ganhando desempenho.

2 Comments

Leave a Reply